Escolha uma Página

Talvez você não saiba, mas os aromas dos vinhos são divididos em Primário, Secundário e Terciário. Os aromas Primários dos vinhos são os aromas preexistentes na uva, ou seja, antes de qualquer transformação. São os aromas da própria uva, um exemplo claro é o vinho feito de uva Moscato (Moscatel), pois ao cheirar o vinho sente-se o aroma dessa casta, trata-se de uma classe de uvas muito perfumada e de aroma característico. Os aromas Secundários são os que a bebida adquiriu durante a elaboração, fermentação, pela ação das leveduras e bactérias e amadurecimento em barris de carvalho. Os aromas terciários ’’bouquet’’ são os perfumes que o líquido ganhou ao longo de seu envelhecimento em garrafa, a ‘’guarda’’.
A palavra bouquet se refere apenas a aromas terciários, ou seja, este termo se aplica somente a exemplares envelhecidos em garrafa.
Certamente você já viu alguém descrevendo um vinho, falando que ali se encontram frutas vermelhas, baunilha, manteiga e por aí vai… Então você pode se perguntar:
Mas o que estão fazendo baunilha, manteiga, café, chocolate, trufas, rosa e canela no aroma de um vinho? Como estes aromas foram parar no vinho? Eles são adicionados artificialmente ou são simplesmente devaneios de quem está degustando?
A primeira coisa a deixar claro é que estes aromas não são devaneios do degustador. Estes tipos de aroma realmente aparecem nos vinhos fino de mesa, às vezes de forma muito nítida, às vezes de forma mais tímida.
A segunda afirmação importante é: estes aromas não são adicionados artificialmente ao vinho. Eles são aromas naturais resultantes das reações químicas que ocorrem no processo de fermentação, maturação em carvalho e envelhecimento em garrafa.
Estudos comprovam que, devido à quantidade de papilas gustativas, a percepção varia de uma pessoa para outra. Assim, há quem seja mais sensível às características descritas acima. Esses são chamados de superdegustadores, não pela experiência, mas porque percebem as sensações de forma mais precisa.
Podemos agrupar os aromas dos vinhos conforme as características:
Florais: perfumes, rosa, violeta, flor de laranjeira, flores do campo, jasmim, lírio…
Frutados: Frutas Cítricas: limão, laranja, maçã verde, tangerina, lima, grapefruit…
Frutas vermelhas: amora, cassis, morango, framboesa, groselha, cereja, ameixa…
Frutas brancas ou de caroço: pêssego, damasco, pêra, maçã…
Frutas tropicais: banana, abacaxi, lichia, manga, melão, maracujá…
Frutas secas: amêndoa, avelã, nozes…
Fruitas cristalizadas, em calda, confitadas (cozidas) e geléias: ameixa seca, figo seco, uva passa, panetone/bolo de frutas secas, geléias em geral.
Especiarias: pimenta do reino, pimenta branca, anis, cravo, canela, baunilha, gengibre, noz-noscada, alcaçuz, cedro, caixa de charutos, anis, tabaco, chocolate, café, mel, manteiga, caramelo, pão torrado, leveduras, casca de pão, madeira/carvalho.
Vegetais: aspargos, champignon, feno, musgo, capim, grama cortada, pimentão verde, azeitonas pretas, eucalipto, menta, folhas molhadas, resina, côco, trufas, chás.
Animais: couro, pelica, carne fresca, xixi de gato, suor de cavalo, carne de caça, defumados, bacon, boeiro, estrebaria…
Herbáceos: hortelã, sálvia, orégano, manjericão, alecrim, pinho, manjerona…
Minerais: pedra de isqueiro, petróleo, querosene, cera, asfalto, terra molhada…
Químicos: medicamentos…
Agora, na próxima vez em que você for degustar um vinho, procure descobrir que característica de aroma ele possui e tente achar alguns aromas. Saúde!

clube-do-vinho-1

loja-virtual

winesave