Escolha uma Página

Na produção do vinho, temos a grande influência da uva no quesito qualidade. Para que se possa fazer um vinho de qualidade, a colheita precisa ser feita no tempo certo. Quando a uva é colhida cedo, ela torna-se aguada ficando com pouco álcool e se colhida tarde, resulta de um vinho com bastante álcool e com baixa acidez.

Mas para a fabricação existem várias considerações a serem analisadas,  como solo, condições climáticas, métodos de cultivo, colheita e manipulação, e uma infinidade de outros fatores que podem influenciar na primeira parte da elaboração de um vinho: O cultivo e colheita das uvas.  Na segunda parte, quando ocorre a maceração, a fermentação e a guarda do vinho, a cuidadosa atuação do enólogo, através de suas técnicas e as tecnologias à sua disposição, é fundamental. Normalmente dias moderadamente quentes e noites frias potencializam boas colheitas embora não se possa aplicar esta receita, a todo o tipo de castas.

Em destilarias, as uvas são colhidas a mão ou com a ajuda de máquinas e em seguida, esmagadas. Mas a tendência desse processo é fazer com que ele seja cada vez mais mecanizado para que aja mais produção e também mais higiene na produção.

Após esmagar a fruta, começa o preparo de fermentação.  Adiciona-se sulfitos para eliminar organismos prejudiciais, acrescentando  leveduras e grandes quantidades de açúcar e outros nutrientes em caso de necessidade. Por fim, coloca-se água morna ao preparado. Após isso, começa a fermentação alcoólica.

Em um recipiente aberto, deixa-se ferver entre 21 a 24 graus Celsius e repousar no período de uma semana. O processo de fermentação pode ser definido como o processo pelo qual a levedura converte o açúcar presente na fruta em dióxido de carbono e álcool. Em seguida o dióxido de carbono (CO2) desvanece-se pelo ar ficando o desejado vinho, embora este precisa ainda de alguns “retoques” até ser armazenado e posteriormente consumido.

Somente então começa a fase anaeróbica, seguida por outra fermentação onde o líquido e sedimentos da primeira fermentação são passados a outro recipiente e é selado evitando o contado com o ar.

As temperaturas baixas isolam a matéria líquida da parte sólida como cascas, caroço e detritos.

Esse processo demora uma sete semanas, dependendo do tipo de vinho. E assim segue a decantação, colagens e filtrações, conforme o tipo de vinho.

Após isso, o vinho é reservado em garrafas, barris ou barricas e pode ser consumido após 6 meses ou mais tempo dependendo o tipo de vinho.

O tempo de armazenagem é definido pela qualidade e tipo, se ele é vinho tinto, branco, rose ou espumante.

clube-do-vinho-1

loja-virtual

winesave