Vinhos encorpados

Para iniciarmos, gostaria de falar sobre a densidade dos vinhos em boca. A análise dessa sensação é chamada de exame tátil. Para simplificar, podemos comparar ao leite integral, desnatado e semi- desnatado, pois cada um tem o seu peso e sua densidade e no vinho é igual, temos alguns mais leves e outros mais densos.

Os vinhos encorpados possuem maior concentração de compostos, pois se mostram “potentes”.
Os taninos são mais presentes, a textura em boca é mais arenosa, pois quase sempre passam por estágio em barricas de madeira para reparar as suas arestas, tem peso, se pousado sobre a língua, geralmente mais álcool, a coloração na maioria das vezes é mais fechada e conseqüentemente mais denso.

Podemos citar algumas uvas que na maioria dos vinhos os tornam encorpados:  Malbec, Cabernet Sauvignon, Sangiovese, Nebbiolo, Syrah e Tempranillo.

Apesar de alguns enófilos pensarem de maneira diferente, é fato de que corpo e estrutura é a mesma coisa. Quando falamos que um vinho é estruturado, estamos também dizendo que tem bom corpo. Alguns se confundem ao dizer que vinhos estruturados são aqueles que apresentam equilíbrio entre fruta, acidez, álcool e taninos, mas esse ‘’equilíbrio’’ é simplesmente o adjetivo utilizado para descrever um vinho harmônico, ou seja, que nada sobra ou nada falta, mas não tem nada a ver com corpo ou estrutura.

Lembre que vinhos encorpados casam bem com comidas ricas em sabor e peso.

Abaixo indicamos alguns exemplos de vinhos encorpados:

Enira Reserva 2007

Stambolovo Estate Syrah & Merlot

Emilia-Romagna Passionato IGT

Imperial Toledo Gran Reserva

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *